Prédio da Câmara encontra-se em situação crítica

 Saiba as razões da reforma do prédio da Câmara de Igarapava

 É verdade, sim, que alguns lugares do prédio da Câmara podem cair, e pode matar. Quanto vale uma vida humana?! Quando se critica nova reforma, coloca-se o ser humano de lado, para fazer politicagem...

  Algumas partes do prédio da Câmara podem ruir, cair sem mandar aviso, ocasionando risco de morte. E essa situação vem desde 2011, ano em que, lamentavelmente, fora feito "uma reforma" na Câmara, autorizada pelo presidente da época, Leandro Silva (que mais tarde veio a ser cassado), pela empresa Tetos Engenharia e Manutenção Ltda.

 A empresa Tetos Engenharia e Manutenção Ltda, na condição de vencedora do respectivo certame licitatório não concluiu o objeto contratado, tendo sido inclusive proposta pela Câmara Municipal no ano de 2013 uma ação de ressarcimento de danos causados ao erário público (processo n.º 0007222-21.2013.8.26.0242 – 2.ª Vara Cível da Comarca de Igarapava/SP),

 Não dá para falar que foi feita uma reforma, apesar da quantidade enorme de dinheiro do contribuinte que foi gasto: desde aquela época há vazamentos de água de chuva em vários locais; infiltrações dominam as paredes; fiações internas que expõe as pessoas ao risco de choque elétrico; fiações externas que expõe as pessoas ao risco de choque e eletrocussão e morte.

 No início do ano de 2012 foi realizado laudo técnico pelo engenheiro civil da Prefeitura de Igarapava atestando a necessidade de reparação geral na edificação do prédio desta Casa de Leis, tendo em vista o sério risco oferecido para a obra e pessoas que circulam pelo local.

 E houve, por diversas tentativas amigáveis para que a empresa Tetos Engenharia e Manutenção Ltda realizasse os reparos necessários nas repartições no prédio da Câmara Municipal de Igarapava.

 Por fim, no ano de 2013 novamente foi confeccionado laudo técnico por outro engenheiro civil da Prefeitura de Igarapava que também atestou a necessidade da realização de diversos reparos no prédio da Câmara Municipal de Igarapava.

 Não tem como esperar mais. A atual Mesa Diretora ainda tem cinco meses de trabalho pela frente. E é ato privativo do presidente Tiekinha, obedecendo os preceitos legais, propor e executar a reforma do prédio.

 Veja nas fotos, amigo munícipe, em que situação se encontra a Câmara Municipal de Igarapava,"reformada" em 2011. A situação está crítica e caótica: as pessoas que trabalham ou frequentam o prédio correm risco de morte. Vamos ainda trazer detalhes sobre todos esses fatos.